“A Primeira Impressão é a Que Fica”: Por Que e o Que Você Pode Fazer a Respeito? 2 Comentários


Dois segundos – trinta segundos, no máximo, esse é o tempo necessário para avaliar sua confiança, competência, status, simpatia, entusiasmo, cordialidade e confiabilidade. Esse é o tempo que você possui para criar sua primeira impressão.

De fato, é impossível para nós não realizar estes julgamentos apressados sobre o outro. O ser humano funciona deste jeito.

De acordo com a teoria do cérebro trino, nossa matéria cinza representa três cérebros em um: o cérebro reptiliano comanda as funções vitais do corpo como os batimentos cardíacos, respiração, temperatura do corpo e equilíbrio. O cérebro cortical lida com atividades como a linguagem, análise e estratégia (o centro do pensamento consciente fica aqui no córtex pré-frontal). Mas é o cérebro límbico o principal responsável pelos julgamentos de valor que influenciam fortemente as primeiras impressões.

O sistema límbico, em particular a amígdala, é a primeira parte do cérebro a receber a informação e reagir à ela. A amígdala recebe todos os estímulos e decide instantaneamente se é uma ameaça ou não. Antes que a mente consciente tenha tido tempo para avaliar alguém – de forma lógica – , o cérebro límbico já tomou sua decisão. E, por que estas decisões são realizadas sem um processo lógico de deliberação, elas nos impactam com o imediatismo e o poder do imperativo de sobrevivência do nosso cérebro primitivo – desconsiderado, não anunciado e, na maioria dos casos, impossível de se resistir.

Nós somos psicologicamente programados para ver o que esperamos ver. Assim, se uma avaliação inconsciente te rotula como confiável ou duvidoso, poderoso ou submissivo, amigo ou inimigo, as pessoas passarão por uma ginástica mental para se pendurar ao seu julgamento inicial: Elas irão buscar por informações que confirmem o que ela acredita ser a verdade, tomarão nota quando algum comportamento confirma esta opinião, mas irão ignorar ou menosprezar aqueles que são contraditórios à sua percepção.

Um programa de televisão norte-americano popular da CBS News, o “60 minutos”, dramatizou este viés de confirmação com examinadores de polígrafo. O quadro do show preparou uma pegadinha onde solicitava a quatro analistas de polígrafo, escolhidos aleatoriamente, examinar os resultados de polígrafo de quatro funcionários “suspeitos” de furtar um equipamento de câmera (de fato, não havia nenhum furto).

Cada um dos quatro examinadores foram sutilmente levados a acreditar que uma pessoa em particular era o provável ladrão. E assim eles descobriram – um diferente em cada caso – o culpado, simplesmente porque isso era o que eles esperavam ver.

Se a impressão inicial que você gera é negativa, pode criar consequências devastadoras no longo prazo para seus negócios – e para sua carreira. Enquanto você não pode controlar os pré-conceitos das outras pessoas, você pode utilizar a linguagem corporal para enviar os sinais corretos. Aqui seguem sete linguagens corporais para criar uma primeira impressão positiva:

1. Ajuste sua atitude: As pessoas vão captar sua atitude instantaneamente. Um estudo realizado no Centro de Neuroimagem Cognitiva na Universidade de Glasgow descobriu que o cérebro leva 200 milissegundos para coletar a maior parte da informação necessária de uma expressão facial para determinar o estado emocional de uma pessoa. É por isso que você não pode esperar entrar na sala para “se aquecer”. Você precisa entrar já expressando as emoções que deseja projetar.

2. Mantenha-se ereto: Puxe seus ombros para trás e mantenha sua cabeça elevada. Esta é uma postura de confiança e auto-estima.

3. Sorria suavemente: Um sorriso é um convite, um sinal de boas vindas. Ele diz, “Sou amistoso e acessível.” Um sorriso devagar cria reações mais positivas ainda. Então, comece com um sorriso suave, aumentando-o organicamente.

4. Faça contato visual: Olhar nos olhos de alguém transmite energia e demonstra interesse e abertura.

5. Levante as sobrancelhas: Abra seus olhos suavemente mais que o normal para estimular o “flash da sobrancelha” que é o sinal universal de reconhecimento e aprendizado.

6. Baixe o tom: Você conquistará as pessoas no “Olá!” se sua voz soar amigável e convidativa. Não deixe o nervosismo levar sua voz à uma altura maior. Antes de falar, respire fundo e expire pela boca. (Se ninguém estiver te vendo, faça um suave som de “Ahhh”). Desta forma, aliviará a tensão na garganta, ajudando a manter o tom da sua voz relaxada e suave.

7. Aperte as mãos: O toque é o sinal não verbal mais poderoso e primitivo. As pessoas reagem à um efusivo aperto de mão (palma a palma, firme, mas sem “quebrar ossos”) lhe julgando como uma pessoa amistosa e aberta.

Lembre que a primeira impressão é a que fica. Isso pode trabalhar a seu favor se você se certificar que a sua é muito boa.

Por Carol Kinsey Goman, Ph.D., em Forbes, “Why First Impressions Stick — And What You Can Do About It

Se gostou compartilhe clicando nos botões abaixo e participe deixando um comentário com críticas, sugestões, complementação etc!

916 total views, 1 views today


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 pensamentos em ““A Primeira Impressão é a Que Fica”: Por Que e o Que Você Pode Fazer a Respeito?